CachaçaDescubra porque o Carvalho Americano é recomendado para o Envelhecimento de Cachaça

https://www.cachacadesabor.com.br/wp-content/uploads/2021/07/Carvalho-Americano_00002.jpg

Você sabia que o carvalho americano é o mais recomendado para o envelhecimento da cachaça?

Caso você não sabia ou tinha conhecimento, porém, quer ter mais detalhes sobre o assunto, este artigo foi feito para você.

Nele vamos te mostrar todos os detalhes que apontam para a eficácia do carvalho americano na hora de envelhecer a boa e velha cachaça brasileira.

Portanto, não deixe de acompanhar este texto até o final para ficar por dentro do assunto.

Sem mais delongas, vamos ao que interessa! Boa leitura!

Porque o carvalho americano é mais recomendado para envelhecer a cachaça?

Primeiramente, vale destacar que todas as informações que serão expostas aqui foram retiradas com base em pesquisas sérias e conduzidas de forma rigorosa por profissionais competentes e que são destaques nos ramos que atuam.

Uma pesquisa realizada pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, a ESALQ, da USP, acompanhou, por 5 anos, como que os níveis de envelhecimento da cachaça armazenada em barris de carvalho americano e europeu evoluíram.

Os resultados confirmaram que o carvalho americano tem mais potencial quando se fala em maturação da cachaça.

Na pesquisa, os dois tipos de carvalhos conferiram à cachaça brasileira todos os componentes fenólicos de maneira significativa.

Porém, o carvalho americano conseguiu atingir concentrações maiores.

De maneira geral, durante o período de envelhecimento, as taxas de congêneres na cachaça armazenada no carvalho americano foram o dobro em relação a cachaça maturada no carvalho europeu.

Foram estudados, de forma principal, os componentes fenólicos que derivam da lignina e que apresentam uma sequência importante de transformação.

Nesse estudo, foi surpreendente a rapidez que a cachaça envelhecida em um barril de carvalho americano.

Dentre os fatores fundamentais que influenciam na qualidade da cachaça, se destaca a transformação da lignina.

Comparado aos estudos feitos internacionalmente, a composição dos congêneres que estão relacionados ao envelhecimento da cachaça se aproximou do perfil dos componentes fenólicos que são encontrados em um uísque com 12 anos de envelhecimento.

De acordo com os pesquisadores, a probabilidade é que cada ano em que a cachaça é envelhecida no carvalho americano, corresponde, aproximadamente, há 5 anos à maturação das bebidas em geral.

A pesquisa e o seu passo a passo

Na pesquisa foi utilizado uma cachaça bidestilada em panelas de cobre.

Essa cachaça foi fabricada em 2013 em uma destilaria da ESALQ de Piracicaba.

O procedimento escolhido é o mesmo aplicado na produção do uísque, permitindo que a cachaça fique mais leve.

Logo após, a cachaça foi inserida em tonéis de carvalho novo com capacidade de 225 litros.

O envelhecimento foi realizado com a proteção contra vibrações e com temperatura ambiente de 22 graus.

A cada um ano, durante um período de 5 anos, os pesquisadores foram reunindo amostras a fim de identificar os índices de envelhecimento.

Através de uma técnica chamada de cromatografia líquida, foram analisados a concentração de aldeídos cinámicos, benzoicos e ácidos benzoicos.

Para os pesquisadores, o resultado colabora com os responsáveis por produzir cachaças.

Isso porque, o estudo oferece novas informações para direcionar o processo produtivo pelos produtores.

Além disso, a pesquisa acaba ampliando a discussão sobre a relativização do período de maturação da cachaça.

Isso porque, a depender do tipo de madeira e da sua procedência, a cachaça tem a possibilidade de atingir certo nível de envelhecimento.

Para embasar essa lógica, os pesquisadores apresentaram um exemplo de uma aguardente que ficou armazenada por 20 anos em um tonel que não era mais capaz de fornecer todos os compostos aromáticos.

Nesse exemplo, ainda que se possa falar que a cachaça envelhecida por 20 anos, a qualidade sensorial e química da bebida não se desenvolveu.

O que se busca, desse modo, é encontrar um fator com base nos compostos que a madeira extrai e da relação que ocorre entre eles.

Com base nisso, é possível identificar o nível de envelhecimento que a cachaça vai atingir.

Com base nesses estudos é que foi identificado que o carvalho americano fornece todos os compostos para envelhecer a cachaça de forma mais rápida.

O barril precisa ser sempre novo? – Carvalho Americano

Como você sabe, os barris de carvalho não são baratos.

Ainda que não seja uma madeira que esteja em falta, é inviável, para grande parte dos produtores, a compra de tonéis para o primeiro uso em cada uma das safras.

No entanto, os estudos da ESALQ apontaram que a quantidade de extrativos nos barris com o segundo uso reduz pela metade em comparação com o mesmo período de envelhecimento no barril novo

Uma maneira de que essa perda não ocorra e que não seja necessária a constante importação de barris, é utilização da técnica da revitalização da madeira.

Após cada envelhecimento, o barril é aberto, raspado e submetido a uma tosta nova.

Esse procedimento pode ser realizado por aproximadamente sete vezes, a depender da densidade das aduelas.

Com a revitalização do barril, o produtor terá um segundo envelhecimento praticamente igual ao primeiro.

O clima tropical – Carvalho Americano

Além das características que fazem do carvalho americano a melhor madeira para o envelhecimento da cachaça, ainda há a grande influência do clima brasileiro.

O nosso clima tropical traz uma enorme vantagem no tempo de maturação da cachaça em barris de carvalho americano.

A temperatura e a umidade são dois fatores que influenciam bastante na evolução do envelhecimento da cachaça.

Conclusão

Como você pode analisar, as pesquisas realizadas pela ESALQ confirmaram que o carvalho americano é mais recomendável para o envelhecimento da cachaça.

As pesquisas foram desenvolvidas por meio de técnicas e controles rigorosos.

Além disso, a pesquisa foi conduzida por um conjunto de profissionais altamente capacitados e que são referências em suas áreas.

Como resultado, teve-se a constatação da eficácia dos barris de carvalho americano na rápida evolução da maturação da cachaça

Outros fatores também foram levados em consideração, como a questão de o barril ser novo ou não e do clima tropical presente no Brasil.

Porém, esses fatores não predominaram sobre o ponto principal, qual seja, a de que o carvalho americano é mais recomendado na hora de envelhecer a cachaça.

×