CachaçaO que é a cachaça Gabriela? Descubra aqui!

https://www.cachacadesabor.com.br/wp-content/uploads/2021/07/cachaca-Gabriela_00003.jpg

Entre os muitos tipos e marcas de cachaça produzidas no Brasil, a cachaça Gabriela é uma que você deve experimentar! Se você nunca ouviu falar, leia o texto e acompanhe todas as informações sobre essa cachaça.

Mas se você ainda não conhece, confira o que é a cachaça Gabriela e não fique de fora de um dos melhores tipos dessa que é a bebida mais famosa do Brasil.

O que é a cachaça Gabriela?

A cachaça Gabriela é, na verdade, uma bebida licorosa que mistura a cachaça branca tradicional com cravo, canela e gengibre. Seu sabor é muito peculiar e a cachaça possui aroma inigualável, graças aos ingredientes que recebe para sua fabricação.

O teor alcoólico da cachaça Gabriela é bem mais baixo do que o das cachaças tradicionais, não passando de 26% de álcool. A bebida recebeu esse nome porque é fabricada na cidade de Paraty, um dos principais pontos de fabricação da cachaça branca no país.

Foi na cidade de Paraty que foi gravada a novela Gabriela, Cravo e Canela, uma adaptação da obra escrita por Jorge Amado. Assim surgiu a ideia de fazer uma cachaça que misturasse cravo e canela com o nome de Gabriela, lembrando o cenário picante da novela que marcou época.

A partir da criação da bebida, foi criado também um coquetel que utiliza a cachaça Gabriela como base e que se chama Jorge Amado, em homenagem ao criador da obra que deu origem à cachaça, agora tão famosa em todo o Brasil,

Cachaça clássica de Paraty

Alguns conhecedores da cachaça Gabriela afirmam que ela foi criada com a intenção de homenagear Sônia Braga, atriz que interpretou Gabriela na novela. A bebida se tornou também uma cachaça tradicional na cidade de Paraty, atraindo a atenção de turistas e outras pessoas que visitam o local.

Ao contrário do que se imagina, não existe um só produtor da cachaça Gabriela, assim, ela não é uma marca, mas um tipo de cachaça produzido por diversos fabricantes da cidade de Paraty.

Mesmo quem já trabalhava com os tipos mais tradicionais de cachaça passou a incorporar a cachaça Gabriela entre os tipos produzidos, já que ela se tornou rapidamente conhecida e muito procurada por quem aprecia cachaça e entende das variações.cachaça Gabriela

Símbolo da cidade e da Feira do Livro

Ao que tudo indica, a criação da cachaça Gabriela serviu também para criar um novo símbolo para a cidade de Paraty. Em uma das edições da Feira do Livro de Paraty, uma das feiras mais importantes do país, a cachaça Gabriela foi indicada e promovida como uma bebida símbolo da cidade.

Costuma-se dizer que ir até Paraty e não experimentar ao menos uma dose da Gabriela é o mesmo que não ir e assim, a bebida vai se tornando cada vez mais conhecida, apreciada e vendida também para fora do município.

Alguns especialistas também costumam dizer que a cachaça Gabriela é um tipo de aguardente produzida para iniciantes e que as mulheres costumam beber mais dela do que os homens, já que possui baixo teor alcoólico e é adocicada, graças ao processo licoroso pelo qual passa para a produção.

Paraty no cenário da cachaça branca

Muito antes da produção da cachaça Gabriela e antes até da gravação da novela, que ocorreu em 1982, Paraty já era um ponto importante da produção de cachaça branca no país.

A produção era tão famosa que moradores de Diamantina buscaram cachaça branca e transportavam no lombo de animais até o interior de Minas Gerais. O processo de envelhecimento da cachaça teria começado dessa forma, já que o trajeto durava mais de 40 dias.cachaça Gabriela

Até hoje Paraty costuma fabricar e consumir muito mais cachaça branca, que é fabricada sem envelhecimento e o resultado é uma bebida transparente com cor e odor que preservam ao máximo os da cana-de-açúcar.

Assim, Minas Gerais segue sendo um importante produtor da cachaça amarela, envelhecida em barris de madeira e Paraty segue produzindo as variações da cachaça branca, como é o caso da Gabriela, entre outras.

Produção de cachaça em Paraty

A produção de cachaças diversas na cidade de Paraty já possui centenas de ano, contando com alambiques diferenciados e com alta qualidade e padrão de produção e venda de cachaças que estão entre as melhores do país.

Em geral, a produção é artesanal, o que garante a preservação das qualidades da bebida e o valor de mercado das cachaças feitas em Paraty. Para ser considerada artesanal, a cachaça precisa ser produzida manualmente, inclusive o corte da cana em muitos casos também não é feito por máquinas.

Embora a produção seja artesanal, a fabricação de cachaça não é mais rudimentar como nos tempos antigos. Os alambiques de Paraty possuem maquinários sofisticados e barris de madeiras diferenciadas que oferecem aromas e sabores peculiares para as cachaças produzidas na cidade.

Durante o Brasil colônia, a cidade de Paraty foi o maior centro produtor de cachaça de todo o país, que começou a fabricar a bebida logo nos anos de 1600. Assim, a bebida produzida na cidade era também a mais cara de todo o país porque era comercializada com alto padrão de fabricação e vendida também para portugueses e membros da elite brasileira da época.cachaça Gabriela

Tipos de cachaças de Paraty

Além da famosa cachaça Gabriela, Paraty conta com ao menos sete alambiques muito famosos e renomados na produção de cachaças. Durante os anos de 1700, estima-se que havia mais de cem alambiques para produção de cachaça no município para atender à demanda da época.

Os principais tipos de cachaça produzidos na cidade podemos contar com as seguintes marcas e alambiques:

  • Corisco
  • Coqueiro
  • Paratiana
  • Maria Izabel
  • Engenho D’ouro
  • Maré Cheia

Como pudemos ver, a cachaça Gabriela talvez seja a mais famosa, mas não é a única cachaça importante fabricada na cidade de Paraty e vendida para todo o Brasil.

Mas se você gosta dos sabores mais licorosos e misturados com ervas aromáticas, não deixe de conferir a cachaça Gabriela e presentear quem você ama com uma bonita garrafa da bebida feita artesanalmente.

×